ARACAJU/SE, 15 de abril de 2024 , 8:33:14

logoajn1

Ricardo Abreu: rede municipal vive momento de avanços históricos

Recentemente a Prefeitura de Aracaju lançou o programa Escola Tech, um pacote de investimentos em tecnologia educacional que visa garantir, dentre outros benefícios, a entrega de um notebook educacional com acesso à internet para todos os mais de 25 mil estudantes do ensino fundamental e da educação de jovens e adultos; e a instalação de displays interativos de 75” em todas as salas de aula, de modo a proporcionar um ambiente de aprendizagem mais dinâmico e interativo, além de garantir aos alunos, pais e familiares, uma oportunidade de inclusão digital. Para detalhar esse programa e traçar um panorama da educação municipal em Aracaju, o Jornal Correio de Sergipe e o Portal de notícias AJN1 traz entrevista com o secretário de Educação de Aracaju, Ricardo Abreu. Dentre outras coisas, ele diz que Aracaju foi pioneira em Sergipe no que diz respeito à disponibilidade de internet de alta velocidade em todas as escolas do município, uma rede que conta com mais de 400 km de fibra óptica, “viabilizando não só conexão para as escolas, como também para outros prédios públicos da nossa capital”, como destaca o gestor. Confira a entrevista a seguir:

 

Correio e Sergipe – Nos últimos sete anos, o que a gestão já implementou na Educação com foco na tecnologia?

Ricardo Abreu – A modernização das nossas escolas, tanto no que diz respeito à gestão escolar, quanto no que diz respeito às questões de ensino e aprendizagem, tem sido um objetivo frequentemente perseguido pelo prefeito Edvaldo Nogueira. Prova disso é que a Semed foi a pioneira no que diz respeito à disponibilidade de internet de alta velocidade nas escolas públicas municipais, instalando mais de 400 km de fibra óptica, cercando todo o perímetro da nossa capital, e viabilizando não só a internet para as escolas, como também para outros prédios públicos da nossa capital. Além disso, é bom que se ressalte que o prefeito fomentou também um programa de apoio à modernização do parque tecnológico privado dos professores do município de Aracaju, com o programa Professores ON, a partir do qual os docentes receberam ajuda de custo para adquirir notebooks e outros equipamentos tecnológicos que viabilizassem aulas mais interativas e dinâmicas, com ganhos de qualidade na educação. Todo esse parque tecnológico fez com que a Semed passasse a ser uma das secretarias mais tecnológicas e com mais itens de modernidade no que diz respeito às tecnologias da informação na comunicação. A exemplo do circuito de vídeo de que todas as escolas dispõem, bem como os botões de pânico que foram essenciais para que nós pudéssemos manter nossas escolas funcionando mesmo em momentos em que o país estava em grande preocupação com possíveis ataques nos ambientes escolares. Agora estamos diante no nosso maior passo, que foi cuidadosamente planejado desde o ano de 2001, e que vem sendo executado administrativamente, discutido e dialogado em 2022 e 2023, que é o Escola Tech, um pacote composto por uma série de ações que visam prioritariamente atingir aqueles que são os agentes protagonistas da relação ensino e aprendizagem e da troca de saberes  nas escolas, os professores e os estudantes.

 

CS – O aparato tecnológico que está sendo implementado nas escolas a partir do Escola Tech, além de modernizar e ampliar as formas de ensino, também garante mais segurança?

RA – O Escola Tech consiste em dotar todas as escolas da rede pública municipal de ensino de Aracaju com equipamentos tecnológicos que possam tanto otimizar a gestão da Secretaria Municipal de Educação e das escolas, mas também transformar a escola em um local mais receptivo e atrativo para as crianças, e com melhores condições de trabalho para os nossos professores. Nesse sentido, nós passamos os anos de 2022 e 2023 fazendo pesquisas, visitando outras cidades que também possuem modelos tecnológicos semelhantes, para que a gente pudesse implementar em Aracaju a melhor solução para as questões específicas da nossa rede. Fizemos um pacote com uma série de soluções, que incluem a identificação facial de crianças, adolescentes, jovens e adultos, bem como da comunidade escolar que transita na escola. Também instalamos terminais de reconhecimento facial, porque queremos de uma vez por todas abolir a chamada oral do professor em sala de aula. Estamos dando aos professores essa possibilidade de a chamada ser feita eletronicamente. Ou seja, toda criança que adentrar uma instituição e que for cadastrada em nossos sistemas será identificada pelas câmeras de identificação facial, e o seu pai, mãe ou responsável receberá um SMS informando que essa criança acabou de adentrar ou de sair da escola. Isso traz mais segurança às nossas escolas. Bem como os terminais de reconhecimento facial, onde constará a presença do aluno na sala de aula.

 

CS – Além desses equipamentos que envolvem monitoramento a partir de identificação fácil, quais outros instrumentos tecnológicos fazem parte do Escola Tech?

RA – Estamos dotando todas as 800 salas de aula da educação infantil e do ensino fundamental e da EJA [Educação para Jovens e Adultos] com painéis interativos digitais. São painéis que atuarão para que o professor possa ter mais interatividade e mais possibilidade de desenvolver conteúdos na sua sala de aula a partir de uma infinidade de acessos a conteúdos, fazendo com que a aula seja mais dinâmica e interativa. Fizemos também o início de um projeto ambicioso de inclusão digital, não só dos nossos estudantes, mas também das suas famílias. Estamos em um processo de distribuição de cerca de 25 mil notebooks educacionais, com internet ilimitada durante um ano, e conteúdos embarcados, que os alunos poderão levar para as suas residências e para as suas escolas. A Prefeitura de Aracaju vem trabalhando incansavelmente para que consigamos modificar a rotina nas escolas, trazendo uma nova cultura escolar, em que a tecnologia seja usada como ferramenta de trocas humanas. Por isso estamos também trazendo uma série de soluções de software. Uma delas é a Inteligência Artificial. Contamos agora com um algoritmo de IA que acompanhará a vida escolar de todos os nossos estudantes e nos dirá, com base em dados preditivos, quais são os estudantes que estão com maior chance de insucesso escolar, para que a gente possa atuar sobre a aprendizagem deles ainda durante o ano letivo e garantir que eles aprendam e sejam aprovados no final do ano letivo.

 

CS – Pode-se dizer que o ensino municipal em Aracaju vive um dos maiores avanços?

RA – Se formos contabilizar o pacote tecnológico chamado Escola Tech, vemos que estamos em um momento histórico da nossa cidade, da nossa gestão e da educação do nosso município. Se conseguirmos fazer com que isso se transforme em cultura escolar, temos a mais absoluta convicção de que o aluno da Prefeitura de Aracaju, ao terminar o seu ciclo, sairá mais preparado para desenvolver as suas funções como um cidadão pleno.

 

CS – A Semed, que já realiza a capacitação continuada dos professores, deve orientar esses profissionais com relação ao uso das novas tecnologias, correto? Há algum planejamento para a didática de aulas com a utilização dos novos equipamentos?

RA – A temática da formação continuada de profissionais de educação certamente ganha um novo capítulo com a chegada desses equipamentos tecnológicos nas escolas. O nosso Centro de Aperfeiçoamento de Formação Continuada já está preparando um conjunto de formações continuadas para que os professores possam utilizar esses equipamentos e deles tirarem o máximo em prol da docência e da aprendizagem dos nossos estudantes. Serão formações continuadas sobre o uso dos notebooks de forma coletiva em sala de aula, serão formações continuadas sobre o uso da plataforma do Siged [Sistema Integrado de Gestão Educacional], sobre o uso dos painéis interativos digitais e, principalmente, sobre a ferramenta de IA para que os professores possam se servir das informações dadas pelo sistema, e assim possam garantir que todos os estudantes possam aprender, e tenham sucesso na aprovação. Será um ano em que a formação continuada, que já é um elemento de muita atenção da secretaria, se transforma em uma das ações estratégicas do nosso município, porque investiu em recursos para dar significado a todo esse conjunto de ações que estão vinculadas ao Escola Tech.

 

CS – Qual é o principal objetivo da gestão municipal, ao implementar um pacote de investimentos como o Escola Tech?

RA – Esse pacote tecnológico tem uma série de objetivos. Obviamente que o objetivo preliminar é fazer com que as relações de ensino-aprendizagem e de troca de experiências e saberes que acontecem em sala de aula possam acontecer também pela tecnologia, trazendo mais dinamicidade e protagonismo aos autores. Mas, o objetivo do Escola Tech também é fazer com que os estudantes tenham acesso aos equipamentos e processos tecnológicos que eles tinham com escassez ou sequer dispunham. Nós queremos reduzir a desigualdade que existe entre os alunos de outras redes, especialmente da rede privada, que possuem computador, notebook, telefone celular, televisão de última geração, para fazer com que os nossos estudantes também possam ter acesso a esses dispositivos e possam exercer cidadania plena. O Escola Tech também foi feito para trazer uma maior interação entre a família e a escola. No que diz respeito à distribuição de notebooks, por exemplo, a ideia é que o aluno possa levá-lo para casa, e lá não só o estudante passará por um processo de inclusão digital, mas seus pais, irmãos, familiares, também poderão ter acesso e fazer uso de uma série de serviços digitais que já são oferecidos pela Prefeitura de Aracaju. Da mesma forma, estamos implementando sistemas de identificação e de reconhecimento facial nas escolas, a partir dos quais as famílias serão informadas do momento exato em que os alunos chegaram e deixaram a escola. Isso para que os pais possam ficar cada vez mais tranquilos. Vários adolescentes que moram próximo das escolas e seguem sozinhos para a unidade de ensino, ou vão no transporte municipal. Então, isso faz com que os pais tenham informações dos filhos.  A ideia é fazer com que a escola seja um instrumento de coesão entre os estudantes, os familiares, os profissionais que lá atuam, e a própria cidade de Aracaju. A escola está a serviço do aprendizado, mas também desse processo de coesão, de reencontro, de aproximação das pessoas, do fazer pedagógico e de educar as crianças e as famílias dos aracajuanos.

 

CS – O Escola Tech atingirá todas as escolas gerenciadas pela Semed?

RA – O Escola Tech é um programa de rede. É uma política pública que visa atingir todas as 79 escolas do município. Obviamente que algumas escolas possuem características em relação ao programa que as diferenciam de outras. Os alunos da educação infantil não receberão notebooks porque não têm idade para operar esses equipamentos, mas eles receberão os painéis interativos digitais, as câmeras de identificação facial bem como os terminais de reconhecimento facial. O pacote abrange todas as escolas e profissionais, que sentirão os seus efeitos no que diz respeito às suas metodologias de ensino e aprendizagem.

Você pode querer ler também