DENTRO DOS PADRÕES - 18/05/2020 - 13:26

Segunda quinzena de maio terá aumento considerável de chuvas

Foto: Divulgação/PM

Da redação, AJN1

Em Sergipe, historicamente, o mês de maio é o mais chuvoso da estação outono e, pelo jeito, essa característica deverá prevalecer em este ano, segundo o Departamento de Meteorologista da Superintendência Especial dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Serhma). E o tempo já deve mudar a partir desta terça-feira (19), onde haverá um aumento significativo de chuvas em todos os territórios de Sergipe.

O meteorologista Overland Amaral explica que, em maio, os ventos são intensificados e têm apresentado suas características principais até o momento e que marcam a mudança de tempo. “Isso é resultado dos sistemas de ondas de Leste, que nascem no centro do oceano Atlântico e deslocam-se para Costa Leste/Nordeste, atingindo os territórios litorâneos da Bahia, Alagoas, Pernambuco e Rio Grande do Norte, fazendo com que Sergipe tenha chuvas elevadíssimas, com chuvas comuns durante a noite e início da manhã e as frentes frias que duram de dois a cinco dias”.

Overland diz ainda que, nos próximos cinco a dez dias, as chuvas se intensificarão do Litoral ao Sertão, com índice pluviométrico de 5 a 10 milímetros (mm). “Do final do mês em diante, tem a possibilidade de chuvas significativas acima de 50 mm, decorrentes de frente fria”, reforça o meteorologista.

Volume por territórios

Em uma análise territorial, Overland diz que as chuvas mais significativas, em sua maioria, estarão presentes na faixa Litorânea do Sul ao Norte. “O fenômeno abrange do município de Brejo Grande a foz do Rio São Francisco, com volume torno de 184 mm. Em Neópolis, às margens do Velho Chico, a previsão é de 158 mm. No território Centro-Sul do Estado, o município de Lagarto terá 120 mm e Simão Dias 120 mm. Já no Território Sul, o município de Boquim terá 120 mm, Umbaúba 160 mm e Estância 180 milímetros”.

Conforme a previsão, no Alto Sertão, mais precisamente no município de Nossa Senhora da Glória, o volume poderá chegar a 80 mm. Em decorrência disso, explica Overland, a média do mês de maio nesse território será de 120 mm. No Agreste Central e Médio Sertão, não será diferente, e as chuvas serão bem distribuídas, sendo que em Frei Paulo (Agreste) a média será de 50 mm e em Nossa Senhora das Dores (Médio Sertão) chegará até 80 mm. “Esses dados acontecerão sempre de forma decrescente, do litoral para o interior, sendo comum mais volume na região litorânea e reduzindo até o interior de todos os territórios”.

Abastecimento

Overland Amaral destaca que a tendência é que as chuvas tenham média histórica, beneficiando os pastos, agricultores e toda comunidade ligada diretamente aos recursos e hídricos e a natureza. “Comprovando que estamos passando por uma condição climática positiva”.