ARACAJU/SE, 18 de maio de 2024 , 3:55:55

logoajn1

Sergipe registra mais de quatro mil casos de Aids em 28 anos

Por Juliana Moura

 

Embora seja uma doença ainda sem cura e controlada apenas por medicamentos, muitas pessoas ainda insistem em ter relações sexuais sem o uso do preservativo. Tanto que de 1987 a maio deste ano, Sergipe registrou 4.108 casos da doença com 1.219 óbitos. E em 83% dos casos, as vítimas têm entre 29 e 49 anos. Segundo Almir Santana, gerente do Programa DST/AIDS da Secretaria de Estado da Saúde, um dos maiores desafios no combate à enfermidade é conscientizar a população.

 

“As pessoas que tem vida sexualmente ativa precisam entender que elas correm risco e podem se contaminar com o vírus HIV se elas não usarem o preservativo. Um dos grandes desafios no combate à doença é fazer com que a população se conscientize dos riscos. Além desse, tem também a necessidade do uso da camisinha entre os maridos e esposas. Quem está casado ou tem uma relação duradoura, também precisa usar o preservativo. Então, a questão do comportamento é um dos grandes desafios”, disse.

 

Dos casos registrados em Sergipe nos últimos 28 anos, 3.992 foram em adultos, com 1.197 mortes, e 106 em crianças, com 22 óbitos. Os municípios com maior número de casos foi Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, Itabaiana, São Cristóvão e Lagarto. E Almir ressalta que as pessoas devem fazer o teste da AIDS pelo menos uma vez ao ano. 

 

“Fazemos um trabalho educativo permanente, mas a população tem que se prevenir sempre e fazer o teste da AIDS pelo menos uma vez ao ano, inclusive, junto com os seus parceiros e parceiras. Com os antirretrovirais a qualidade de vida de quem tem o HIV/AIDS melhorou, assim como a discriminação que tem diminuído gradativamente, mas ainda há muitos desafios pela frente e a população precisa, de fato, se conscientizar. Apesar da evolução da medicina, a doença não tem cura ainda e ela mata”, conclui. 

 

AIDS

 

A doença atinge o sistema imunológico e o organismo fica mais vulnerável a diversas doenças, de um simples resfriado a infecções mais graves. Os primeiros sintomas da AIDS são febre e mal-estar, e, em seguida, diarreia, sudorese noturna e emagrecimento.

 

Foto: Divulgação

 

Você pode querer ler também