Servidores da saúde de Aracaju fazem ato em frente à Prefeitura

Da redação, AJN1

 

Na manhã desta sexta-feira (1º), os servidores da saúde do Município de Aracaju, em greve há 31 dias, fizeram mais um ato unificado em frente à sede da Prefeitura. Os médicos, enfermeiros, psicólogos, auxiliares de enfermagem, e assistentes sociais, totalizando 13 categorias, cobram reajuste salarial, que ainda não foi anunciado pelo prefeito João Alves, que alega crise financeira.

 

De acordo com Augusto Couto, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), o prefeito desmoraliza os servidores. “Já tentamos negociar várias vezes com a ele, mas não tivemos sucesso. Até agora não fomos chamados para nada. E apesar de termos deixado 30% dos servidores em atividade, a rede básica de saúde está prejudicada e também os atendimentos especializados”, disse.

 

Prefeitura

 

Procurada, a assessoria de Comunicação da Prefeitura de Aracaju não foi localizada. Mas, de acordo com o que a Secretaria de Planejamento vem sustentando nos últimos meses, é que as propostas das categorias já foram analisadas, mas devido à crise financeira, fica inviável, neste momento, conceder reajuste salarial aos servidores.