ARACAJU/SE, 3 de março de 2024 , 19:26:59

logoajn1

Síndrome do túnel do carpo afastou mais de 24 mil trabalhadores em 2023

 

As lesões por esforço repetitivo (LER) são uma das principais causas de afastamento do trabalho e as mãos, membros com grande responsabilidade na execução de tarefas do dia a dia, acabam sendo significativamente impactadas. No ano passado, segundo o Ministério da Previdência Social, a síndrome do túnel do carpo, por exemplo, afastou 24.002 pessoas do trabalho, 33,15% a mais do que em 2022.

 

Neste mês, o dia 28 é marcado como Dia Mundial de Combate às LER/DORT (Lesões por Esforços Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho), chamando a atenção para esses problemas que são, principalmente, relacionados às condições organizacionais do trabalho.

 

“A síndrome do túnel do carpo é uma das lesões mais comuns relacionadas ao trabalho, que atinge frequentemente quem passa muito tempo digitando, como também profissionais da área de construção e manufatura. Essa condição surge a partir da compressão do nervo mediano, que passa dentro de uma estrutura chamada túnel do carpo. Esse nervo controla a sensibilidade da palma dos dedos da mão, com exceção do dedo mínimo, e manda impulsos para os músculos que mexem o polegar”, explica o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM), Antonio Carlos da Costa.

 

O principal sintoma é a sensação de formigamento, que se manifesta geralmente à noite, além de dor, que pode ser intensa a ponto de acordar a pessoa. “A evolução da síndrome dificulta manipular estruturas pequenas e executar tarefas simples, como pregar um botão, enfiar linha em uma agulha, segurar e pegar objetos, amarrar os sapatos e até dificuldade de distinguir o quente do frio”, salienta o especialista.

 

Outros problemas

 

Outros problemas que impactam as mãos, ligados ao esforço repetitivo, são a sinovite e tenossinovite que, no ano passado, foram as causas responsáveis pela concessão de 6.922 benefícios por incapacidade temporária (antigo auxílio-doença), alta de 20,9% na comparação com 2022.

“A sinovite é a inflamação da membrana sinovial, tecido que reveste a parte interna das articulações, responsável por produzir o líquido sinovial, que serve para lubrificar a articulação e prevenir o desgaste das cartilagens”, diz o presidente da SBCM. “Já a tenossinovite é um tipo de inflamação que afeta a bainha tendinosa ou bainha tendínea, um tecido que cobre os tendões e que facilita o movimento e a conexão dessas estruturas com os músculos e ossos”, completa.

 

Prevenção

 

Ações simples podem ajudar no combate às lesões por esforço repetitivo. Uma recomendação, para quem trabalha com computadores, por exemplo, é fazer uma parada de cinco minutos a cada 25 minutos de trabalho de digitação.

“Não é recomendado utilizar apoio de punho durante a digitação, pois aumenta o risco de provocar compressão nos nervos dessa região. A digitação deve ser feita com os pulsos ligeiramente levantados. Os apoios são projetados para permitir o repouso confortável do punho durante as pausas”, salienta.

 

Alongamentos com as mãos e os punhos também podem ajudar na prevenção, com indicação de um especialista em cirurgia da mão.

 

“Complicações dessas lesões envolvem a incapacidade temporária, com afastamento por longo período do trabalho, ou até permanente, levando à perda precoce da capacidade produtiva. Por isso, a principal orientação é buscar atendimento ao primeiro sinal de desconforto”, conclui

Você pode querer ler também