ARACAJU/SE, 19 de abril de 2024 , 5:16:54

logoajn1

SMTT promete adotar medidas visando a segurança do transporte

Depois de reunião realizada entre a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o Sindicato das Empresas do Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp) e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Smtt), a entidade, promete, segundo o superintendente Nelson Felipe, verificar a possibilidade de retirar os “busdoor” dos ônibus (propagandas que ficam no fundo do coletivo) e de também melhorar a qualidade das imagens que são captadas de dentro dos veículos.

 

“Na reunião cada entidade se comprometeu com uma questão e a Smtt irá verificar a possibilidade de retirar os busdoor dos ônibus para facilitar a visibilidade, o que ajudará a polícia, e também buscaremos uma maneira, junto com o Setransp, para melhorar a qualidade das câmeras e das imagens que são captadas dentro dos coletivos. Vamos atrás desses pontos o mais rápido possível”, disse.

 

Ainda de acordo com ele, a Smtt se compromete em adotar medidas para melhorar a segurança do transporte público. “A Smtt entende a situação e faremos o possível para ajudar. Por isso, a Superintendência se compromete em adotar medidas para melhorar a segurança do transporte, que inclui a retirada do busdoor e a melhoria na qualidade das imagens”, conta Nelson Felipe.

 

Setransp

 

Já o Setransp, em nota oficial, informa que o presidente do Sindicato Alberto Almeida, participou da reunião e mostrou que as empresas já haviam atendido as medidas antes solicitadas, reforçando, por exemplo, a comunicação em tempo real entre o sistema de monitoramento por câmeras internas e GPS das empresas de ônibus e a polícia, como também a aplicação de adesivos de Disque Emergência 191 e Disque Denúncia 181 em todos os ônibus.

 

No entanto, consta na nota, o Sindicato, como foi solicitado na reunião, avaliará alternativas de melhorar a visibilidade interna dos ônibus. Além disso, o Setransp está planejando uma nova metodologia e também já pediu reforço na ação da polícia.

 

Por Juliana Moura/CS

Você pode querer ler também