ARACAJU/SE, 22 de maio de 2024 , 11:47:34

logoajn1

Terceira etapa do Plano Diretor inicia com audiência no bairro Soledade

O Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) que está sendo elaborado pela Prefeitura de Aracaju chega à sua terceira etapa. Iniciando essa nova fase de audiências e discussões, a comunidade do bairro Soledade recebeu a equipe da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplog), na noite desta segunda-feira, 31, na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Deputado Jaime Araújo.

A coordenadora geral de Desenvolvimento Urbano, Mariana Albuquerque, explica como funcionará essa nova etapa da construção do Plano Diretor. "Essa é a terceira etapa de revisão do Plano Diretor e ela é que avalia as propostas. Essas propostas foram feitas com base no diagnóstico, municipal que foi uma das etapas anteriores. A partir desse diagnóstico e a partir das audiências de apresentação desse diagnóstico, além de e-mails e de algumas visitas que fizemos a outras comunidades, nós pudemos elaborar algumas propostas para o município pra que estejam sendo contempladas no Plano Diretor, na minuta final do Projeto de Lei", explica Mariana.

A coordenadora destaca a importância dessa nova fase de audiências. "É de extrema importância, principalmente porque agora nós estamos tratando das propostas do Plano Diretor. Então a população não apenas vai ouvir as principais propostas que a gente está trazendo do restante das outras etapas, como também estamos visitando outros novos bairros dentro do município para que essa população também participe, se manifeste e demonstre o seu interesse em contribuir com esse processo, dizendo suas propostas, o  que ela quer que tenha no Plano Diretor também, o que ela quer para o município", diz.

"O Plano Diretor é um planejamento que tem uma visão de 10 anos, normalmente as pessoas vem dizer que a infraestrutura está faltando, não é bem isso, o Plano são diretrizes gerais pra o desenvolvimento do município, é isso que a gente vem discutindo e já estamos na terceira etapa. A gente tenta convidar avisando que vamos discutir com o objetivo de melhorar a vida de todo mundo", conta a diretora de Urbanismo, Ana Lúcia Neri.

Ana Neri enfatiza a importância da participação da população. "Na segunda etapa nós fizemos a leitura de Aracaju, a partir dessa leitura nós estamos nessa fase agora, que são as propostas. Tudo que foi dito hoje, foi relativo às propostas para Aracaju durante esses dez anos. Seria muito bom que todo mundo pudesse participar e pudesse dizer: ‘Eu quero Aracaju daqui a 10 anos dessa forma'. A gente tem propostas para diversas coisas para a comunidade e esperamos que eles venham participar", conclui Ana.

O secretário municipal do Meio Ambiente, Eduardo Matos, diz que as pessoas ainda necessitam de informação.  "Alguns ecossistemas podem ser alterados, podem ser até retirados, em nome da segurança coletiva, em nome da drenagem. Mas eles têm um rito processual a ser seguido, um processo administrativo. Muitas vezes a população desconhece e acha que é só colocar uma máquina e limpar, porém temos que ter um processo, uma caracterização e uma autorização", disse Eduardo, que finalizou destacando a importância dessa etapa.

"É muito importante essa terceira etapa, a população será instigada a fazer propostas, o Plano Diretor é um planejamento de como crescer a cidade. Mais um conjunto de audiências públicas, mostrando que de fato a Prefeitura está fazendo de forma ímpar e extremamente democrática, uma revisão participativa do Plano Diretor", finalizou Matos.

"É importante para exercitar os moradores dos bairros de Aracaju a cidadania e tomar conhecimento dos problemas de infraestrutura que as comunidades passam na nossa cidade. Participamos de várias audiências, porque nós achamos que é um momento importante para que os moradores dos bairros de Aracaju possam opinar, mostrar a necessidade do seu bairro. Acho que essa é uma iniciativa democrática e é importante que a comunidade participe mais", destacou o membro da Federação das Entidades Comunitárias de Sergipe (FECS), Manoel Barros.

Já o presidente da Associação de Moradores do bairro Soledade, José Orlando Moraes, aprova a audiência e diz que chegou ao bairro em um momento oportuno. "Essa audiência foi muito importante para o Soledade e toda a Zona Norte. Gostei muito do que foi apresentado aqui, porque eu só entrava em comunicação através de ofício pedindo auxílio. O Plano Diretor veio na hora certa, para a gente diferenciar, abrir ao público, ver a situação do povo e ver a as solicitações do nosso bairro", conclui Orlando.

 

Fonte: PMA

Você pode querer ler também