ARACAJU/SE, 16 de junho de 2024 , 22:23:46

logoajn1

Trabalhadores rurais ocupam Superintendência do Incra

 

Da redação, AJN1

Cerca de 200 famílias de trabalhadores rurais do acampamento Chico Mendes II, em Macambira, ocupam desde o início da manhã desta terça-feira (25) a sede da Superintendência do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Sergipe, na avenida Coelho e Campos na capital. De acordo com o dirigente estadual do Movimento Sem Terra (MST), Carlos Alberto, o objetivo do movimento é antecipar a reunião entre a Superintendência do Incra no estado e o Incra nacional como forma de solucionar a questão da ocupação da fazenda Junco.

Segundo o dirigente, a ocupação já duro nove anos e neste período as famílias de trabalhadores rurais foram alvos de cinco ações de despejo, uma delas determinada pela Justiça Federal. Ele lembrou que a área está penhorada por conta de dívidas trabalhistas e já foi levada a leilão, mas não houve nenhum arrematador. Carlos Alberto ressaltou que apesar do diálogo aberto com a Superintendência do Incra, os trabalhadores estão desacreditados com as promessas e propostas apresentadas. “Já houve três acordos que não foram cumpridos”, ressaltou o dirigente, acrescentando que as famílias estão dispostas a resistir a ocupação até que seja resolvida a questão.

O desejo dos trabalhadores rurais é que o Incra adquira a área da fazenda Junco, localizada no povoado Jacoquinha em Macambira, e a destine para reforma agrária. A propriedade, que é alvo de penhora em decorrência de dívidas trabalhistas, deve ir a leilão mais uma vez. “Os acampados exigem a antecipação de reunião prevista para acontecer com representante do Incra para a garantia da compra do imóvel. Os trabalhadores afirmam que irão resistir na ocupação até alcançar o objetivo almejado”, concluiu Carlos Alberto.

Você pode querer ler também