ARACAJU/SE, 27 de maio de 2024 , 4:17:21

logoajn1

Tudo com IA: a nova busca do Google muda a forma como usamos a internet

 

Há pouco mais de duas décadas, um hábito entrou na vida digital de todos que usam internet e se tornou tão comum, mas ainda tão transformador como outras grandes inovações da história: pesquisar no Google. Virou, por definição, um verbo. Abandonamos os dicionários e páginas amarelas para abrir espaço para algo mais rápido e digital.

Nesta terça-feira (14), a empresa que definiu a experiência de busca na internet apresentou sua nova forma de conexão com o mundo, com a chegada oficial da inteligência artificial generativa na Busca. Trata-se de uma cara nova para todo o serviço, com a apresentação de informações ainda mais personalizada e aprimoradas pelo cruzamento do consumo do usuário e seus interesses. Antes possível somente para quem a habilitasse, agora a ferramenta aparecerá automaticamente na hora de fazer qualquer pesquisa.

É uma mudança que vai mudar a forma como buscamos na internet para sempre: com resumos gerados automaticamente, o trabalho braçal de ir atrás da informação agora vai ficar ainda mais raro. Como disse Liz Reid, vice-presidente e Head de Pesquisa: “O Google fará o ‘googling’ para você”.

As novidades vêm um dia após a OpenAI apresentar o GPT-4 o — o “o” vem de “omni”, que significa “tudo” —, modelo de linguagem capaz de interpretar o mundo real por meio da câmera do smartphone. Aponte para alguns ingredientes no armário, por exemplo, e pergunte qual receita pode ser criada a partir deles. O chatbot responderá via áudio de forma natural.

O Google mostrou algo semelhante, mas ainda em fase experimental, chamado projeto Astra. Está evidente que as duas empresas estão competindo para ver quem soltará a melhor e maior ferramenta de IA — e há rumores, inclusive, de que a OpenAI deve um dia anunciar o próprio serviço de busca —, mas ainda não está claro quem sairá vencedora. De um lado, uma empresa com décadas de experiência e valor de mercado de US$ 2 trilhões. Do outro, uma startup estimada em US$ 80 bilhões que virou o Vale do Silício de cabeça para baixo.

Como funciona a IA na Busca do Google?

Em vez de dividir sua pergunta em diversas pesquisas, você pode fazer as perguntas mais complexas, com todas as nuances e advertências que tiver em mente, tudo de uma só vez.

Se alguém estiver procurando por um novo estúdio de ioga, por exemplo, pode pedir por um lugar próximo do seu trabalho e com desconto para novos membros com somente uma pesquisa.

Tudo isso é possível graças a um novo modelo Gemini personalizado. Ele reúne os recursos avançados do Gemini — incluindo raciocínio em várias etapas, planejamento e multimodalidade — com sistemas de pesquisa.

Por enquanto, a nova forma de pesquisar está disponível somente nos Estados Unidos. Segundo Sundar Pichai, CEO do Google, ela deve chegar a outros países em breve.

Também será possível usar o Gemini na Busca para planejar algo. O planejamento de refeições e viagens permite, por exemplo, que a IA crie um itinerário com base nos seus interesses, horário de voo e outros detalhes.

Por enquanto, está disponível no Search Labs, em inglês, nos EUA. Ainda este ano, o Google adicionará recursos de personalização e mais categorias, como festas, encontros noturnos e exercícios.

Converse com qualquer app

Inteligência artificial generativa do Google, o Gemini agora está disponível na grande maioria dos produtos Google. Usuários Android já podem habilitar o assistente de IA generativa no smartphone. Veja alguns exemplos de como usar o Gemini na prática:

  • No Google Fotos, agora é possível escrever o que você deseja pelo chatbot. Pergunte, por exemplo, qual a placa do seu carro ou quando foi a última vez que você tirou fotos na piscina, e receba a resposta imediatamente.
  • Usuários do Gmail podem pedir por um resumo dos principais e-mails de alguma conta específica. Também é possível resumir reuniões que acontecem pelo Google Meet.
  • Feito para estudantes, o Google Notebook funcionará com um tutor com auxílio de IA (uma das novidades anunciadas ontem pela OpenAI). Usuários podem enviar perguntas por áudio, como “Consegue me explicar o que é a fórmula de Bhaskara usando um exemplo?”, e receber uma resposta.
  • Pelo Google Chat, será possível criar um assistente de IA generativa que responde automaticamente as perguntas feitas. Ela fica disponível, por exemplo, em conversas em grupo, possibilitando que qualquer funcionário de uma equipe veja em tempo real a resposta de algo como: “Tal projeto já foi aprovado?” ou “Existe algum dado que corrobore essa informação?”.
  • Em breve, a plataforma do Google Maps oferecerá resumos de estabelecimentos, gerados com auxílio de IA a partir de comentários deixados por usuários. Também será possível encontrar resumos de uma região ou bairro e pedir por recomendações específicas, como “Me mostre restaurantes que aceitam cachorros”.
  • Nas próximas semanas, o Google irá disponibilizar a ferramenta “ajude-me a escrever” em português brasileiro no Google Docs.

Fonte: Exame

Você pode querer ler também