Amsia Motors desiste de Sergipe e vai montar seu polo industrial em Minas Gerais

Da redação, AJN1

 

A Amsia Motors, hoje a nova marca líder em veículos de baixa emissão de poluentes do mercado internacional, anunciou que não vai mais instalar seu polo industrial em Sergipe, como fora acordado em junho de 2013, durante solenidade de assinatura do protocolo de intenções com o governo do Estado. A expectativa era gerar aproximadamente 4 mil empregos diretos, com investimento de R$1 bilhão. Agora, a multinacional, de origem árabe e capital chinês, vai para Sete Lagoas, em Minas Gerais.

 

Em nota, o governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), se defende, alegando que em momento algum deixou de cumprir o que foi solicitado pelos executivos da Amsia Motors, para instalação de uma fábrica do grupo em Sergipe.

 

De acordo com o secretário Chico Dantas, desde que foi assinado o protocolo de intenções com o governo do Estado, há dois anos, e após inúmeros contatos e reuniões através de videoconferências, não foi concretizado nada para a instalação do grupo em Sergipe, por eles terem descumprido os procedimentos legais que constavam no documento e sequer terem feito o registro da empresa na Junta Comercial (Jucese).

 

“Desde que o Governo de Sergipe iniciou os contatos com os executivos do grupo, reservamos uma área de altíssima qualidade, na Barra dos Coqueiros, para a instalação da empresa, sempre estivemos à disposição para atendê-los e eles nunca cumpriram uma vírgula do que foi pactuado, inclusive uma delas, elementar para que o processo pudesse andar, seria a abertura de uma empresa na Junta Comercial, mas mesmo diante de todas as facilidades apresentadas pela Jucese e Sedetec, na época, e ainda esse ano, eles nunca se preocuparam em abrir a empresa e sequer mandaram os documentos necessários para isso”, esclareceu o secretário.

 

De acordo com ele, o Governo do Estado ofereceu como benefícios tudo o que podia e está previsto no Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI).

 

“Eles teriam praticamente a isenção do ICMS devido, visto que de 100% o grupo só iria pagar 8%, mas sequer tratamos pessoalmente com nenhum executivo do grupo depois que foi assinado o protocolo de intenções, ou seja, oferecemos todas as vantagens legais possíveis, mas a empresa nunca avançou e nem deu um indicativo concreto de que viria se instalar em Sergipe”, disse Chico Dantas ao ressaltar que o Estado não tem o que lamentar. “Sergipe não está perdendo nada, porque não podemos perder o que na verdade nunca tivemos”, afirmou se referindo ao fato do grupo ter anunciado na imprensa que agora irá instalar a fábrica no Sudeste do país.