ARACAJU/SE, 16 de abril de 2024 , 0:41:13

logoajn1

Aposentados e pensionistas do Estado estão furiosos com atrasos de salários

Da redação, AJN1

 

A reclamação é geral. Na conta corrente, o saldo está zerado para quase 29 mil aposentados e pensionistas do Estado. Isso porque eles deveriam ter recebido seus proventos no último dia 11, como fora determinado pelo governador Jackson Barreto, em virtude da crise econômica e da queda de repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

 

Se não fosse o discurso veemente da crise, e da redução de R$ 10 milhões no FPE de um ano para cá, a data normal para pagamento dos servidores seria até o quinto dia útil de cada mês. A última vez que isso aconteceu foi em dezembro de 2015.

 

Procurado pela Agência Jornal de Notícias, o assessor de Comunicação da Secretaria de Estado da Fazenda, Elber Andrade, disse que o pagamento será efetuado amanhã (14), sem mais delongas. Mas para quem está com a despensa vazia e a geladeira apenas com água, a queixa é legítima, e se reverbera estado afora.

 

A professora aposentada Bernadete Santos está decepcionada com governador Jackson Barreto. Para ela, a crise não é sozinha a responsável pelos atrasos corriqueiros. “Quem está passando necessidades não está querendo saber de quem é a culpa, se é da crise ou se é da incompetência do governador. Só queremos os nossos salários em dia. Trabalhamos por isso a vida inteira e, agora, o governo mete a mão no nosso dinheiro. E quem paga o pato somos nós? Isso nunca aconteceu antes. Estou, profundamente, decepcionada”.

 

João Constantino, de 78 anos, também não consegue entender o posicionamento do governo. Para ele, atrasar o salário dos aposentados é um crime. “A cada mês que passa, somos enganados pelo governo. Com essa miséria de crise econômica, o valor da cesta básica aumentou, basta ir ao mercadinho e constatar. Os remédios estão caríssimos e o que compramos não dá pra chegar até o final do mês. Ainda por cima recebemos por último. Assim não podemos ficar”, reclama ele.

 

A pensionista Julia, 38, ficou viúva há 5 anos e recebe o benefício do marido para sustentar seus dois filhos. “A gente não está aqui para ver nossos filhos com fome. Em caso de emergência, sem dinheiro, como vou pagar um táxi e levá-los ao posto médico? Pode ter certeza que hoje não vou ter dinheiro para pagar um táxi”, lamenta.

 

Folha

 

Segundo o governo do Estado, a folha dos aposentados e pensionistas ultrapassa o montante de R$145 milhões. O atraso, conforme a Secretaria de Estado da Comunicação, se deve em virtude da queda dos repasses do FPE. Sozinho, o FPE representa cerca de 60% de toda a arrecadação.

 

Amanhã o pagamento só será efetuado graças a verba do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que será utilizada em parte para complementar a folha.

 

Rombo da Previdência

 

O déficit da previdência social é um dos maiores problemas das contas públicas do Estado, conforme o secretário da Fazenda, Jeferson Passos. Segundo ele, em 2015, o déficit foi de R$ 932 milhões.

 

O Sergipe Previdência projetou para 2016 um déficit de aproximadamente R$ 1,2 bilhão. “Enquanto não houver um equilíbrio entre o crescimento do déficit – que ainda é superior e o crescimento das receitas, esta situação tende a se agravar”, avaliou o secretário, afirmando que algumas medidas adotadas em 2014 começam a surtir efeito.
 

Você pode querer ler também