Setor de Cerimonial tem retomada promissora após dois anos parado

Afugentados pela incerteza do cenário pandêmico que se instaurou no mundo nos últimos dois anos, noivos adiaram suas celebrações de casamento e agora o mercado de Cerimonial volta a aquecer, com a diminuição do número de casos da Covid-19 em Sergipe e a consequente flexibilização das medidas restritivas. A cerimonialista Ellen Regina conversou com o jornal Correio de Sergipe sobre a movimentação na economia que o ramo tem dado nos últimos meses aqui no estado e também falou sobre algumas curiosidades que abarcam a atividade de um Cerimonial. Embora sua especialidade seja matrimônios, Ellen acompanha as necessidades dos diversos nichos que se apresentam no ramo. Um dos seus trabalhos mais recentes foi a organização do casamento do casal de advogados, Guilherme Monteiro e Tatiane Barreto, realizado na Paróquia São Pedro e São Paulo e recepção no Restaurante Sollo. Acompanhe:

Correio de Sergipe: Tenho a informação de que o mercado de Cerimonial em Sergipe está aquecido. Procede?
Ellen Regina: Está bem aquecido. A demanda tem crescido consideravelmente, impulsionada pelo sentimento de volta à normalidade, após o período de pandemia. Podemos dizer que o mercado, atualmente, se encontra favorável, aberto e receptivo.

CS: Sua especialidade é casamento, correto? Inclusive, mês passado você organizou o casamento dos advogados Guilherme Monteiro e Tatiane Barreto. Como foi a preparação desta cerimônia, em especial?
ER: Fico contente em falar que escolhi atuar exclusivamente com casamentos. Poder conduzir o casamento de Tati e Guilherme de maneira leve e tranquila, mesmo sendo planejada a distância, foi uma jornada onde priorizamos a identidade dos noivos em uma cerimônia intimista para familiares e amigos próximos.

CS: O mercado conta com novidades para essa forma de celebração mais íntima?
ER: Essa modalidade tem crescido bastante, com abertura de novos espaços e novas formas de entretenimento, o que torna a experiência marcante. Busco conhecer cada casal, e assim trazer algo diferenciado em cada cerimônia, sempre alinhando com eles o que será feito para tornar o grande dia inesquecível e único para noivos e convidados.

CS: Esta é a missão de um Cerimonial?
ER: A missão de um cerimonial é orientar os noivos, planejar, alinhar as expectativas. O cerimonial não se resume ao dia do casamento. Temos uma missão de trilhar a jornada com muito amor e dedicação, para a realização de um evento memorável à altura do casal.

CS: Um casamento no campo, cidade ou praia. Qual desses ambientes é o mais satisfatório organizar?
ER: Seja qual for o local escolhido pelos os noivos, receberão a mesma energia e comprometimento. Casamentos ao ar livre, na praia, jardim ou campo têm alguns elementos da natureza como vento, possibilidade de chuva, que devem ser levados em consideração, por exemplo, mas nada como um bom planejamentos para que tudo ocorra bem.

CS: Após tantas restrições, cancelamentos, adiamentos e lockdown, imagino que sua agenda deva estar repleta.
ER: Muitos casais tiveram que adiar seus sonhos devido à incerteza do que aconteceria nos meses seguintes, por conta da pandemia. Mas, os trabalhos voltaram a todo vapor, o que tem sido bem desafiador e gratificante. Trabalho ao lado de profissionais e fornecedores dedicados a tornar essa tarefa possível.

CS: E os preços? Com a alta demanda, o valor do serviço deve ter aumentado, não?
ER: A pandemia parou o mercado de casamentos, o que impediu que muitos eventos já agendados fossem realizados. Com o retorno do setor de eventos, essa demanda reprimida, somada à escassez de profissionais, elevou os preços significativamente, mas, nada que se destaque diante dos mercados em geral.

CS: Quanto à mão de obra qualificada, a demanda é atendida ou carece de profissionais capacitados para o número de contratos que se avolumou?
ER: Acredito que essa é uma realidade de muitos mercados, pois há uma demanda reprimida, e foram dois anos de estagnação, o que impediu o desenvolvimento normal do mercado. No entanto, com bom relacionamento e reuniões constantes de alinhamento, estamos compensando essa lacuna, em especial, porque, tradicionalmente, os profissionais do mercado de casamento estão acostumados a lidar com a necessidade de evolução constante.

CS: O que envolve organizar um evento desta magnitude? Que tipo de profissionais, estrutura, fornecedores?
ER: Demanda organização, planejamento e alinhamento com todos os envolvidos. Em um evento são muitos fornecedores, dos mais diversos produtos e serviços, desde o estrutural, como o palco e a base de decoração, até os docinhos que vão na mesa principal. Quando estão todos alinhados com um único objetivo, que é tornar o sonho dos anfitriões realidade, tudo flui muito bem.

CS: Fugindo um pouco de sua área, existe um nicho inusitado que contrata Cerimonial para cremação de Pets. Seus serviços já foram solicitados para algo diferenciado assim? Como se saiu?
ER: Existem vários nichos para a atuação do cerimonialistas, mas amo trabalhar, idealizar e viver a magia das cerimônias de casamento, por isso decidi me dedicar a atuar somente nessa área. Como atuo exclusivamente com casamentos, não existe a procura para outros tipos de cerimônias.

CS: E com esse mercado amplo, na sua opinião, algum segmento é mais complexo que outro para se trabalhar?
ER: O cerimonialista tem um leque de seguimentos em que pode atuar, como casamentos, bodas, formaturas, aniversários, aberturas de empresas e comemorações. E cada profissional vai trabalhar da maneira que melhor se identificar, acredito que não há uma área mais complexa que outra. O cerimonialista pode trabalhar em empresas de eventos ou de forma autônoma e a remuneração é variada, de acordo com o tamanho e tipo de evento. Eu dedico meu trabalho exclusivamente para casamentos, o que me permite vivenciar as experiências de maneira profunda e estabelecer uma ligação genuína com cada casal.

CS: Ainda ampliando o leque, a Administração Pública, por exemplo, não dispensa Cerimonial. Qual a importância desta equipe num ambiente Oficial, como uma Prefeitura?
ER: Embora não atenda a esses órgãos, entendo que o serviço de cerimonial é de extrema importância para planejamento e condução da solenidade. Todos os eventos necessitam de um roteiro para que se cumpra a programação definida, fazendo cumprir as normas e regras ligadas ao evento.

CS: Para quem deseja entrar no ramo, você aconselharia que Cerimonial é um negócio rentável?
ER: Quando comecei, sempre foi mais do que um negócio. Antes de tudo, a ideia era do quão mágico era estar envolvida e, mais do que isso, tornar possível a realização do sonho que é casar. Trabalhar com assessoria e cerimonial requer identificação e prazer no que faz, essa é a premissa para começar a trabalhar nesse ramo. Quanto aos investimentos, não tenho como mensurar, pois cada profissional atua de forma diferente. Particularmente, não tenho do que reclamar. Invisto em qualificação, fiz vários cursos e mentorias que me permite entregar uma experiência de alto nível para os meus clientes. Acredito ser um negócio rentável, uma tradição tão antiga, que traz emoções e lembranças para toda a vida [risos]. Tenho eternas noivinhas que já têm filhos, e lembrar daqueles momentos antes do “Sim!”, me emociona demais.