DHPP sem pistas de executores de adolescente

A equipe de investigações do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) ainda não dispõe de pistas dos três homens que executaram a tiros um adolescente com 16 anos na Barra dos Coqueiros. O assassinato aconteceu no interior de uma mercearia no conjunto Moisés Gomes.

 

De acordo com policiais, o adolescente era envolvido em atos infracionais e foi liberado da Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip) na semana passada. Ontem (15), a vítima, que era conhecida por “Vaca”, estava em uma mercearia no conjunto, quando foi surpreendida pelos desconhecidos.

 

Os homens usavam capuzes para encobrir o rosto e ao invadir o local, determinaram que o comerciante saísse e efetuaram vários disparos contra o adolescente, que teve morte no local. Após o homicídio os desconhecidos fugiram em um veículo tipo sedan de cor branca.

 

Confronto

 

Durante o plantão da segunda para terça-feira o Instituto Médico Legal (IML) recebeu seis corpos vítimas de mortes violentas. Foram quatro vítimas por homicídios – dois deles ocorreram durante assaltos e os autores acabaram mortos -, uma por acidente no trânsito e outra cuja causa da morte foi dada como indeterminada.

 

Em Nossa Senhora do Socorro, um homem foi morto depois de tentar assaltar um cabo da Polícia Militar. O fato aconteceu na manhã de ontem (15), quando a vítima foi abordada pelo acusado e um comparsa, que estavam em uma moto. Após roubar o celular do militar, um dos assaltantes teria feito menção de atirar contra a vítima, que reagiu.

 

Um dos envolvidos no roubo foi baleado e morreu ao receber atendimento médico, enquanto o outro foi preso no início da tarde quando buscava atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da zona Norte de Aracaju.

 

Já no povoado Minante, em Itaporanga D’Ajuda, um homem foi morto por um sargento da PM, que estavam apaisana, ao tentar assaltar um ônibus de uma cooperativa de transporte. O comparsa do assaltante, um adolescente com 16 anos, foi apreendido horas depois, quando estava escondido em um matagal.