Três são presos por execução de advogado em Aquidabã

Da redação, AJN1

Quinze dias após o assassinato do advogado e procurador do município de Aquidabã Jarbas Feitoza de Carvalho Filho, o “Jarbinha”, 33, a equipe do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) esclareceu a motivação e prendeu os três envolvidos na ação criminosa. Foram presos na operação que aconteceu na madrugada de hoje (26), Alcivan Barbosa de Andrade e Genison Pereira – autor dos disparos. Anteriormente foi preso o funcionário da vítima, Gutenberg Barreto, o “Papá”. A arma utilizada no crime também foi apreendida.

De acordo com o que ficou esclarecido, o advogado costumava fazer empréstimos a terceiros e Gutenberg que era homem de confiança da vítima, atuava como intermediário nessas transações. No entanto, o acusado teria simulado alguns empréstimos e Jarbas vinha insistindo para que fossem repassados os nomes dessas pessoas. Além disso, a vítima cobrava a quitação das dívidas.

Se aproveitando da ligação que tinha com o advogado, Gutenberg se associou a Alcivan e Genison para matar a vítima. Conhecedor do cotidiano do advogado, no início da tarde do dia 11,  o acusado o levou para uma propriedade rural no povoado Papel, em Aquidabã, com a desculpa de que iria negociar um potro. No entanto, ao chegar no local, a vítima que estava acompanhada de Gutenberg foi morta a tiros por Genison, que fugiu em uma moto.

O caso começou a ser investigado pelo delegado Marcos Garcia, que nos primeiros levantamentos realizados já encontrou indícios que o crime poderia ter relação com agiotagem. Diante da repercussão do crime, o inquérito passou para o delegado Dernival Eloi, do Cope. Com o apoio do Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol), dias depois do homicídio Gutenberg foi preso. Já na madrugada de hoje foram detidos  Alcivan e Genison.

*Com informações Ascom SSP