Sergipe perde João Alves Filho, um grande homem público, que muito contribuiu para o desenvolvimento do estado. Saiba mais

MPF quer a interdição imediata do zoológico de Aracaju

 

Da redação, AJN1

Nesta quarta-feira (4), Dia Internacional dos Animais, o Ministério Público Federal em Sergipe (MPF/SE) apresentou alegações finais da Ação Civil Pública que pede a interdição total do zoológico localizado no Parque da Cidade, em Aracaju. O processo judicial aponta irregularidades e maus tratos com os animais.

Para o procurador da República, Ramiro Rockenbach, os animais do zoológico não têm sequer alimentação condizente às respectivas espécies ou cuidados com a saúde e, até agora, não foram tomadas providências efetivas. O processo foi movido em conjunto com o Ministério Público do Estado, em junho de 2016.

“As inadequações são tantas que até o hoje o Zoológico de Aracaju continua sem licenciamento ambiental e sem autorização de uso e manejo da fauna silvestre em cativeiro. Há falta de estrutura, falta de profissionais e de condições adequadas, seja em termos de segurança para todos, seja em recintos apropriados para os animais”, ressaltou.

Todas as críticas ao zoológico estão descritas nos relatórios de vistorias realizadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), os quais demonstram a necessidade de medidas para garantir o bem-estar físico e psicológico dos animais, inclusive, de espécies ameaçadas de extinção, bem como sua segurança mediante o risco de fugas, de ingresso de potenciais predadores nos recintos ou de intervenções irregulares dos visitantes.

No relatório do Ibama, também há um pedido para intensificar a segurança da equipe técnica, dos visitantes e da população nos arredores, assim como promover atividades de conscientização ambiental.