Polícia Rodoviária Federal não descarta paralisar atividades antes do Carnaval

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) anunciou nesta segunda-feira (28), que pode entrar em greve geral antes do Carnaval. Os motivos, falta de análise, por parte do governo Federal, do projeto de reivindicações da categoria, que engloba aumento salarial e adicionais noturno e periculosidade.

 

Diante da estagnação na conversa com o governo Federal, os policiais amanheceram este dia 28 em 'Alerta de Greve'. Na prática, isso significa dizer que as fiscalizações, assim como a contagem de ocorrências, foram comprometidas, a exemplo da operação “Rodovida”, que começou no dia 18 deste mês e prosseguirá até o dia 14 de fevereiro, além do balanço da fiscalização no período natalino.

 

“Estamos em alerta, nesse primeiro momento, mas na segunda quinzena de janeiro de 2016 haverá uma nova assembleia em todos os sindicatos do país e a greve pode, de fato, ser deflagrada. Os policiais rodoviários têm um projeto de fortalecimento institucional, que inclui aumento salarial e adicional noturno e de periculosidade que não são pagos desde 2008, mas o Governo Federal não analisou o projeto e a negociação está travada. Então há o indicativo de greve e o movimento pode começar antes do carnaval”, explica Dovercino Alves, presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado de Sergipe (SINPRF /SE).

 

O sindicalista diz ainda que policiais estão se limitando apenas ao obrigatório. Quanto às abordagens e aos testes de bafômetros, já há reduções. “E se a categoria entrar em greve antes do carnaval os transtornos serão inevitáveis e a fiscalização nas rodovias ficará muito prejudicada, causando perigo à população”, afirma.