Sergipe perde João Alves Filho, um grande homem público, que muito contribuiu para o desenvolvimento do estado. Saiba mais

“Identificamos uma concessão de horas extras descontrolada”

 

Da redação, AJN1

A afirmação destacada no título desta matéria é do secretário de Estado da Saúde, Almeida Lima, referindo-se ao Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), durante reunião da Comissão de Gestão da Saúde (CGS), composta pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), Ministério Público Federal (MPF) e por representantes de sindicatos visando garantir o cumprimento do acordo que transfere a gestão de contratos da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) para a SES.

As “horas extras descontroladas”, aos quais Almeida se refere, foram identificadas durante ações de implementação para conter gastos. Por mês, segundo o próprio secretário, são gastos mais de um milhão de reais com esse tipo de despesas, fato que motivou o contato com uma empresa para implantar um sistema de biometria, garantindo o cumprimento de horário das equipes. Mas essa não é uma questão específica do Huse e, para o secretário, uma despesa desnecessária ao Estado.

“Identificamos uma concessão de horas extras descontrolada. Em toda a rede são mais de quatro milhões, fora os encargos. Isso tem nos impulsionado a reduzir custos de horas extras, realizando novo processo seletivo para contratação de novos profissionais da saúde. Outra medida é que os 755 servidores cedidos aos municípios sergipanos estão retornando”, enfatizou Almeida Lima.

Retenção de macas

O superintendente do Huse, Luís Eduardo Correa assegurou que outra ação será desenvolvida para acabar com um problema recorrente no Huse: a retenção de macas do Samu para atendimento de pacientes vindo do interior. Segundo o superintendente, os atendimentos deverão ser regulados via Sistema Interfederativo de Garantia de Acesso Universal (Sigau), o que possibilita planejamento prévio do hospital para um atendimento rápido e correto.

As ações pontuadas na reunião incluem ainda a aquisição, com recursos próprios do Estado, de 30 novas ambulâncias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a disponibilização de todas as informações e atas referentes às ações do Conselho para o público, por meio de publicações no site da SES.

Transparência

Para o procurador da República, Ramiro Rockenbach, a transparência dos serviços em saúde realizada pela SES, até mesmo através das reuniões do CGS, tem sido bastante positiva.

“As mudanças realmente estão ocorrendo, sobretudo no Huse. Sendo esse acompanhamento a melhor medida encontrada pelo MPF para verificar o que está sendo implementado na saúde do Estado, reconhecemos a participação de representantes de todos os profissionais dessa área, que confirmam a execução das ações que a SES diz que executa. Os sindicatos relataram o acerto de muitas medidas tomadas pela secretaria e a expectativa é de que, através da CGS, possamos concretizar os avanços necessários, inclusive, através da inclusão de novos links no portal da SES para ampliar o acesso coletivo às informações”, declarou Ramiro Rockenbach.